SÃO JOÃO DEL-REI, Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014  •  Ano XIV  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Editorial: Virada do ano com mudanças

O primeiro dia de janeiro é quase extraoficialmente o “Dia Mundial das Mudanças Drásticas”. Quem nunca começou um regime, prometeu parar de fumar, quis entrar para a academia, marcou uma consulta com um terapeuta ou até mesmo pintou o cabelo de cor diferente para entrar o ano que atire a primeira oferenda não feita a Iemanjá.

Em 2013, com a posse dos prefeitos eleitos nas municipalidades de todo o país, a ideia da transformação e do recomeço chegou à esfera política. Desde a última terça-feira, 1º, as cadeiras dos Executivos municipais de todo o país foram reocupadas. E a verdade é que independentemente se os ocupantes temporários são novas apostas ou reeleitos, entrar no gabinete em 2013 tem seus quês de novidade. Para quem assume o cargo pela primeira vez, a ideia é de renovação total. Coragem, inclusive. Para quem continua, as propostas, em geral, têm tons de aperfeiçoamento ou novas prioridades. É a velha história de que “não se mexe em time que está ganhando”. Porém, há de se lembrar que mesmo mantendo a escalação, as mudanças são inevitáveis: os adversários são outros, a disputa também. E fazer pontos – vencer, claro! – deve ser uma constante.

Ainda nessa linha metafórica, todo jogo que se preze precisa da torcida. Esteja ela de bem com os resultados ou não, ela é necessária. Quem está na arquibancada apoia, grita, empurra; às vezes xinga (o atleta mais medíocre ou a mãe dele), cobra resultados, faz coro para o técnico ir embora, provoca.

O eleitor, na prática, assume papel parecido. A diferença é que os ganhos dele não são simbólicos. São reais e interferem sim, diretamente, na vida dele e dos outros co-habitantes do município. Portanto, quem ‘vestiu a camisa’ – literalmente ou não nas eleições, não importa o lado – agora deixa de ser ‘eleitor’ e passa a ser ‘vigia’, ‘cobrador’ até. É hora de começar a observar se planos de governo estão sendo colocados em prática; se as urgências municipais estão sendo atendidas; se as decisões têm sido tomadas em regime participativo; se os vereadores estão fazendo jus ao aumento do próprio salário, fiscalizando e cobrando políticas públicas do Executivo – chega de projetos para nomeação de ruas. E esse é um direito de todo e qualquer cidadão, independente da escolha partidária que tenha feito.

É isso que vai definir os rumos de cada cidade. E por falar nisso, agora em âmbito mais específico e regional, novos caminhos estão previstos para a região no sentido mais absoluto do termo. Nesta semana, o Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), autorizou o início das obras rodoviárias entre Nazareno e Mercês de Águas Limpas. As ações de asfaltamento devem começar ainda no primeiro trimestre com investimentos de quase R$26 milhões.

Boa leitura.



Deixe um comentário


Matérias relacionadas