SÃO JOÃO DEL-REI, Terça-feira, 23 de Dezembro de 2014  •  Ano XIV  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Nhá Chica é beatificada frente a 60 mil fiéis

Às 15h de sábado, dia 4, na pequena cidade mineira de Baependi, a 158 km de São João del-Rei, uma celebração eucarística marcava a beatificação de Francisca de Paula de Jesus, conhecida como Nhá Chica, após mais de 21 anos de processo até o reconhecimento de um milagre pelo Vaticano. Agora, a filha de escrava nascida no Rio das Mortes, em São João, entrou para a história como a primeira negra beatificada no Brasil. A celebração foi presidida pelo prefeito da Congregação da Causa dos Santos, cardeal Angelo Amato, representante do Papa Francisco,  e conduzida pelo bispo da Diocese de Campanha, à qual pertence a paróquia de Baependi, dom Frei Diamantino Prata de Carvalho.

Fiéis acompanharam cerimônia de beatificação no sábado, 4 - Foto: Divulgação

Fiéis acompanharam cerimônia de beatificação no sábado, 4 – Foto: Divulgação

De acordo com o Padre Guilherme Gouvêa, da Diocese de Campanha, a missa atraiu para a cidade mais de 60 mil fiéis, além de reunir 150 autoridades eclesiásticas, entre bispos, arcebispos e padres. Também estiveram presentes o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno e o Governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia.“Nhá Chica representa a grande fé do povo de Minas Gerais. Por isso ficamos muito felizes em termos entre nós, os conterrâneos, a agora beata, tão querida e forte Nhá Chica. Ela é um exemplo a ser seguido, exatamente em um momento em que as pessoas buscam na fé uma reflexão do próprio sentido da vida. Tenho a grande honra e oportunidade, como governador do Estado, de ser testemunha desse momento de fé do povo não só de Minas, mas de todo o Brasil. Devemos sempre pedir a proteção dela”, destacou o governador Anastasia.

Emoção
A cerimônia foi marcada pela condução de uma relíquia, contendo os restos mortais da nova beata, ao altar. O item foi entregue pelas mãos de uma fiel especial, que atribuiu a Nhá Chica o milagre reconhecido pelo Vaticano. As orações e a fé depositadas na religiosa permitiram que Ana Lúcia Meirelles Leite fosse curada de um problema congênito no coração sem precisar de cirurgia. A professora e dona de casa contou que sentiu muita emoção por participar da celebração em um ambiente que respira santidade. “Ela está sempre ao meu lado, em todos os momentos. Fico muito feliz em saber que uma bênção dela, que me transformou, foi essencial para esse processo de beatificação. Estou aqui, viva, mesmo tendo sido desenganada muitos anos atrás. É uma emoção que nunca vou esquecer”, relatou.

Imagem
“A imagem de Nhá Chica mostra a bem-aventurada segurando o rosário com uma mão, enquanto a outra está aberta. Isso demonstra que ela acolhe os pobres”. Assim o pároco emérito da Catedral Basílica do Pilar de São João del-Rei, monsenhor Sebastião Raimundo de Paiva, descreve a imagem da beata, também apresentada ao público na cerimônia de beatificação. Foi ele quem recebeu o livro de registro de Nhá Chica, em São João del-Rei. “Recebi o livro dentro de uma caixa de papelão, entregue por um rapaz vindo de Belo Horizonte, que não soube contar de onde veio”, contou o sacerdote. Segundo ele, procurar o registro da religiosa foi essencial para o prosseguimento da beatificação. “Encontrei-a registrada no livro em 1810. Para confirmar, procurei o nome de seu irmão, Teodoro, e certifiquei o nome da mãe. Estava provado que era Nhá Chica”, completou.

Padre Guilherme, da Diocese de Campanha, contou que a beatificação é o reconhecimento das virtudes pela Igreja Católica a partir da confirmação de milagres, sendo um passo para a canonização. “Na canonização, estende-se o testemunho para toda a igreja”, explicou. Contudo, para que o beato se torne santo, é necessário que sejam confirmados mais milagres.

Cura de professora foi reconhecida como milagre pelo Vaticano - Foto: Divulgação

Cura de professora foi reconhecida como milagre pelo Vaticano – Foto: Divulgação

Para o bispo diocesano de São João del-Rei, dom Célio de Oliveira Goulart, a beata mineira é “um modelo que incentiva as pessoas a perseverarem na fé”. Segundo ele, Nhá Chica foi uma mãe para os pobres. “Ela foi uma leiga cristã que, apesar de sua humildade, acolheu as pessoas prestando auxílio, orientação e conselho”, destacou, lembrando que o batismo de cada cristão é uma chamada à santidade e que, sem perceber, Nhá Chica foi realizando sua vocação. “Agora, em todos os anos, no dia 14 de junho, data de sua morte, serão realizadas festas em sua homenagem nas Dioceses de Campanha e de São João del-Rei”, completou.

Romaria
Em nome da fé, são-joanenses pegaram estrada e seguiram rumo a Baependi para acompanhar de perto a missa de beatificação. O estudante Lucas Silveira foi um dos romeiros que participaram. “Voltar à cidade para acompanhar a cerimônia de beatificação dessa grande Serva de Deus é, sem dúvida nenhuma, um marco para a vida de todos os que se fazem devotos dessa mulher de fé”, contou Silveira, devoto da nova beata. “Foi lindo ver que,  juntamente comigo, milhares de pessoas seguem em devoção a essa querida são-joanense. Tive o prazer de encontrar com Ana Lúcia Leite e o privilégio de segurar a relíquia com os restos mortais dessa que já é aclamada como santa pela população. Sem dúvida nenhuma, foi um momento que não se apagará da minha memória e do meu coração de cristão”, completou.

Entre os romeiros, houve quem dispensasse os meios de transporte e decidisse chegar a Baependi caminhando. Ilceu Carvalho saiu de Prados a pé e encontrou-se em São João del-Rei com Murilo Cabral para percorrerem 158km até a cidade de Nhá Chica. Os devotos chegaram ao Santuário da Imaculada Conceição no dia da cerimônia de beatificação. “A sensação de chegar lá foi de agradecimento a Nhá Chica e a Deus. Ela deixou uma obra imensa, mesmo sendo uma mulher pobre e analfabeta. Precisamos de mais pessoas com essa boa vontade”, destacou Carvalho. Em entrevista à TV Campos de Minas, Cabral expressou a admiração pela beata. “A fé dela é tão grande que é difícil acreditar. É uma negra, filha de escravos. Mostrou que tem a fé amadurecida”, ressaltou Carvalho.



2 Comentários para “Nhá Chica é beatificada frente a 60 mil fiéis”

  1. carolrenesmei disse:

    a minah vo esta la ela esta adoramdoooooo

  2. tome geraldo disse:

    eu agradeço por tudo que nhá chica feiz por mim eu tenho muita fé em nhá chica beatificada amo muito dela

Deixe um comentário


Matérias relacionadas