? Acontece | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019  •  Ano XXI  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Acontece

Despedida
O falecimento de Mauro Pinto de Moraes, dia 28 de março, aos 81 anos, traz à tona o que já era sabido: a estima de todos pelo grande médico que por 18 anos dirigiu a Maternidade da Santa Casa, dedicou-se à profissão por inteiro e conquistou toda a cidade pela competência de seu trabalho, pela extensão de seu legado e, sobretudo, pela generosidade de suas ações.

Mauro Moraes ao lado de Percília, amor de uma vida inteira: inesquecível filho de São João del-Rei - Foto:  Acervo Pessoal

Mauro Moraes ao lado de Percília, amor de uma vida inteira: inesquecível filho de São João del-Rei – Foto: Acervo Pessoal

História
Natural de Ubá (MG), foi em São João del-Rei que construiu a sua histórica desde que aqui chegou em 1959, trazido pelo amigo e colega de profissão Tidinho.“Nos conhecemos ainda como estudantes de Medicina no Rio de Janeiro, acadêmicos do Hospital dos Pescadores, onde dois anos depois fomos efetivados como médicos. Com a ida de Dr. Ivan Andrade Reis para o Rio de Janeiro, era urgente a contratação de um médico que dividisse com Dr. Antônio o trabalho da maternidade na Santa Casa de SJDR. Mas que não fosse um profissional qualquer. Era preciso alguém que se moldasse à cidade e à Santa Casa. Penso que acertei na escolha. Convite aceito, Mauro se adaptou imediatamente a SJDR e logo conquistou a cidade”, relembrou Tidinho.

Em São João del-Rei
“Além do trabalho na Santa Casa, ele era também médico do 11º BIMth. Nossa amizade superou todas as diferenças e Mauro foi um dos grandes profissionais que conheci. Trabalhava de uma maneira hipocrática, em nome da dor e do sofrimento, sem ambição, sem vaidade. Atendia a quem dele precisasse. Inspiração e exemplo para as novas gerações”, concluiu Tidinho. Numa trajetória marcada pelo empenho, riscos e empreendedorismo, teve na companheira de uma vida inteira incentivo e apoio incondicionais. Com Percília de Oliveira Moraes dividiu conquistas, alegrias e batalhas (ganhas ou não) em 55 anos de união. Juntos construíram sua história na companhia dos filhos Magda, Mauro, Moema e Mônica, oito netos, genros e nora. “Fomos muito felizes em SJDR, essa cidade que tão bem nos acolheu, onde nasceram nossos filhos e temos amigos fraternos”, comentou Percília. Mauro Filho fala do pai com admiração: “Ele foi grande empreendedor, dado o seu interesse por diversos áreas, mas penso que seu maior legado foram as duas décadas como Diretor da Maternidade da Santa Casa, onde atendeu sem distinção, com ética e dignidade”.

Empreendedorismo e ousadia
Na lembrança de várias gerações, o carisma do obstetra cordial, cuja atuação foi determinante de honra na história da Santa Casa. A participação comunitária foi constante em sua vida. Ao lado de Percília, foi um dos fundadores do Lions na cidade, tendo presidido a entidade e o Athletic Club por vários mandatos. Empreendedor nato, fundou a primeira concessionária de veículos de SJDR, ampliada pela atuação de Mauro Filho e hoje com filiais em quatro cidades mineiras: Lavras, Oliveira, Campo Belo e Alfenas. Liderando pelo trabalho, atuou na política e elegeu-se deputado estadual pelo PMDB em 1987. Empreendeu como fazendeiro e na Represa de Camargos foi um dos pioneiros, beneficiando toda a vizinhança ao abrir estrada com recursos próprios.

Homenagens
Nas solenidades funerais na Capela da Santa Casa, onde foi velado, a homenagem em flores das mais diversas frentes nas quais atuou.
Em emocionante despedida, o desembargador Rogério Medeiros falou do amigo e da vinda para SJDR a convite de seu pai, enquanto Eliane Abreu, presidente do Lions Club, destacou a amizade de uma vida inteira. Consternados, conterrâneos se despediram do são-joanense honorário, ao qual não faltaram ações que perpetuarão sua memória. A família convida para a missa em sua memória que será celebrada amanhã, 5, às 9h15, na Igreja de São Francisco.

Noite de livros
Com trajetória reconhecida no exercício da profissão, organização impecável e carisma, era de se esperar que o lançamento do segundo título de Regina Beatriz, na sexta-feira, 27 de março, fosse sucesso. Final de Análise foi além e a noite de autógrafos, no Centro Cultural da UFSJ, se tornou grande acontecimento, fruto do prestígio que três décadas de trabalho clínico lhe conferiram.

Regina (à direita) com a irmã Lavínia e a mãe Beatriz: feliz com a família e a boa repercussão do livro  - Foto:  Gazeta

Regina (à direita) com a irmã Lavínia e a mãe Beatriz: feliz com a família e a boa repercussão do livro – Foto: Gazeta

Prestígio
“Estamos felizes pela felicidade que você experimenta”, saudou João Bosco de Castro Teixeira, professor e amigo que assistiu à dissertação de mestrado que originou o livro. Com a palavra, a autora agradeceu a presença de todos, destacando aqueles que foram especiais nessa trajetória, como Gustavo Abreu, da Editora Letramento, familiares, professores e colegas de profissão, entre muitos. “Revisitei a obra de Freud com a cautela que a maturidade e o tempo de profissão me permitem. Percorri o ensino de Lacan com a curiosidade aguçada de quem não se saciou ainda. Trocar ideias, escutar opiniões e saber que o tema não se esgota, justificam o risco de uma publicação”, disse Regina. E finalizou: “Que este livro possa ser útil, agradável ou instigante a cada um que me prestigia hoje”

Encontro
Entre flores e amigos, a autora cumpriu o previsto ritual e foi com alegria que autografou livros e mais livros. O grande número de pessoas que aceitou o convite para o lançamento deu mostras do respeito e afeto de tantos por Regina Beatriz. No elegante coquetel, receptivo musical com duo de flauta e violão, encontros e espumante para os brindes. E se Final de Análise dá o que falar, é porque “as palavras de Freud e Lacan continuam a ecoar em nós”.

Feira de artesanato
Na época em que a cidade recebe seu maior número de visitantes, a Feira Mineira de Artesanato destaca a versatilidade artística de Minas em quatro dias de feira e boas compras. Valorizando o fazer manual de artistas de todas as frentes, o evento revitalizou o setor em 11 anos consecutivos como importante vitrine, além das oficinas gratuitas que oferecem oportunidade de aprendizado. Com cerca de 300 expositores, a Feira na Avenida Presidente Tancredo Neves funciona hoje de 10 às 22h e amanhã de 10 às 19h.

Semana Santa
Mais uma vez, a celebração de Ramos, no último domingo, 29, abrindo a Semana Santa em SJDR, encantou são-joanenses e visitantes. Na Igreja do Rosário, Bênção dos Ramos seguida de procissão até a Catedral do Pilar, onde foi celebrada missa solene com o Canto da Paixão segundo São Matheus. Destaque para a atuação de Paulo Márcio Amaro como cronista, Frei César Cardoso como Cristo e Anthony Claret de Moura Neri como Sinagoga. A Turba foi representada pelo Coro e Orquestra Ribeiro Bastos que, sob a regência de Rodrigo Sampaio, apresentou a missa completa para Domingo de Ramos, de Pe. José Maria Xavier. Conduzindo a celebração o bispo dom Célio Goulart, padres da Diocese e convidados como monsenhor Flávio Rodrigues e padre Paulo.

Bispo dom Célio Goulart, padres da Diocese e convidados na solene missa de Ramos na Catedral de Nossa Senhora do Pilar - Foto:  Gazeta

Bispo dom Célio Goulart, padres da Diocese e convidados na solene missa de Ramos na Catedral de Nossa Senhora do Pilar – Foto: Gazeta

Semana Santa I
Em todas as paróquias da Diocese e, sobretudo na Catedral do Pilar, as celebrações acontecem desde a última quarta-feira, com o Ofício de Trevas, e seguem hoje e amanhã, 5, com fidelidade aos ritos originais. Entre os destaques, o pároco Pe. Geraldo Magela, atuando como cerimoniário, Abgar Campos Tirado há 23 anos como locutor sacro em todos os atos internos e externos da Catedral e a Associação dos Coroinhas de Dom Bosco, acolitando as cerimônias e cantando os ofícios em gregoriano. Hoje, Sábado Santo, na Catedral do Pilar, 3º Ofício de Trevas às 8h30, permanecendo por duas horas e meia e, às 20h, solene Vigília Pascal. Amanhã, Domingo de Páscoa, Missa Pontifical na Catedral com indulgência plenária e, às 16h, Procissão do Santíssimo Sacramento.

Semana Santa Cultural
Desde 2001, Alzira Agostini Haddad revitalizou a cultura são-joanense à frente da Atitude Cultura, cujos projetos valorizaram, destacaram e deram voz a todas as artes. Não só no projeto Tapetes de Rua, que se tornou referência nacional durante a Semana Santa, mas também no Natal e no Carnaval de Antigamente, coube à Alzira, seu empenho e entusiasmo, o mérito pela recuperação de tradições preciosas que assinalam a riqueza destas terras.
Este ano, a Atitude Cultural passa de autora a parceira da Programação Cultura da Semana Santa e é com generosidade e confiança que passa a seus principais parceiros a realização dos tapetes do Largo de São Francisco.

Transição Sustentável
“Me sinto feliz, realizada e agradecida, pois tive todo o apoio e confiança dos patrocinadores, apoiadores, parceiros, mídia, artistas e comunidade”, declarou Alzira Haddad ao se referir ao que chamou de Transição Sustentável do Projeto Tapete de Rua do Largo de São Francisco.

Que as instituições e pessoas continuem a fazer os tapetes de rua em frente às suas casas, nas ruas e praças, junto aos vizinhos e amigos. Iniciativas como estas identificam novas lideranças, artistas e voluntários, possibilitando que esta linda tradição seja preservada, vivenciada e multiplicada” , completou Alzira.

Na memória dos são-joanenses as obras de arte em serragem e areia que ao longo de 15 anos destacaram pessoas e tradições de SJDR. Entre muitos, as irmandades, as corporações musicais, Monsenhor Paiva, vitrais das igrejas, rendas e ladrilhos hidráulicos. Todas as informações sobre as Semanas Santas Cultural, Tapetes de Rua e o passo a passo para a confecção dos tapetes no site www.saojoaodelreitransparente.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *