? Acontece | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Domingo, 19 de Novembro de 2017  •  Ano XX  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Acontece

Mundo afora
Quando a proposta é viajar pelo Velho Mundo, o tour pode ir dos cartões postais a roteiros exóticos. Mas qualquer que seja a escolha, uma coisa é certa: lugares de muita história e beleza esperam pelos viajantes. Foi assim com Osvaldo Baccarini Costa e Marília Costa Silva, em 33 dias de turismo pela Europa.A temporada europeia, que alternou viagens em grupo e a dois, passou pela Turquia, França, Inglaterra, Itália, Alemanha, Bélgica, Holanda e Suiça, com tempo suficiente para imersão na cultura dos países visitados.

Osvaldo e Marília em Paris: giro pela Europa em viagem perfeita. Foto: Acervo Pessoal

Osvaldo e Marília em Paris: giro pela Europa em viagem perfeita. Foto: Acervo Pessoal

Viagem e cultura
“Me impressionei com a beleza de Versailles, a riqueza do Vaticano, os monumentos, a história viva”, disse Osvaldo Baccarini, que destacou a cidade medieval de Brugge (Bélgica) como um dos pontos altos da viagem. E não é para menos. Em uma área correspondente ao Brasil, dezenas de países abrigam civilizações e culturas de milhares de anos. Já Marília se encantou especialmente por Paris, onde o casal permaneceu cinco dias e elogiou a receptividade do povo francês. “Eles sabem que o turismo está entre as grandes fontes de renda do país”, comentou Osvaldinho, que já planeja novos roteiros, como a Costa Amalfitana, em breve.

 

A família cresce
A felicidade é grande para a linda Marcella Morgana e Diego Banko com a chegada de Nathan, segundo filho do casal, que vem fazer companhia a Cauã, de um ano e sete meses; um xodó na família. Os avós são Luciana das Mercês e Jorge Luiz dos Santos; e Dieter Banko e Marizia Valéria da Silva (in memoriam). Parabéns a toda a família!

 

Jornal do Poste
Se hoje São João del-Rei conta com um curso superior de Jornalismo, um canal de TV, jornais impressos e emissoras de rádio AM e FM, nem sempre foi assim. Na década de 50, nascia na cidade uma publicação – o Jornal do Poste – que se tornou conhecido nacional e internacionalmente não só pela singularidade e pioneirismo de seu formato, mas também pelo seu valor informativo e credibilidade. Na próxima sexta-feira, 17, o idealizador e fundador do Jornal do Poste, o saudoso jornalista Joanino Lobosque, completaria 100 anos. Ave, Joanino! São João del-Rei lhe deve esta homenagem!

Jornalista Joanino Lobosque: 100 anos de nascimento do fundador do lendário Jornal do Poste. Foto: Acervo Pessoal

Jornalista Joanino Lobosque: 100 anos de nascimento do fundador do lendário Jornal do Poste. Foto: Acervo Pessoal

Centenário
De família italiana, João Lobosque Neto, conhecido como Joanino Lobosque, era o diretor, repórter e redator do Jornal do Poste, fundado em 1952 e oficializado em 1958. Mas era também (e primeiramente) fiscal fazendário e dono do bar Bife de Ouro, de onde muitas vezes saiam as notícias para o impresso.“Lá, o ‘jornalista Juanino’ ouvia rádio até de madrugada a fim de ‘se informar’ para depois informar”, como ele dizia. Redigia sempre uma versão pessoal das ocorrências que ouvia e tinha uma filosofia: “Uma briga num bar daqui é mais importante pra nós do que uma revolução no outro lado do mundo”, conta o jornalista Ivan Santos em sua coluna do Correio de Uberlândia. O Poste já foi também considerado o jornal mais ágil do Brasil, chegando a publicar três edições diárias. “Bastava que coisas importantes acontecessem”, disse o jornalista Antônio Emílio da Costa em seu blog Tensões e Quarentenas.

 

Família
Em quase três décadas de dedicação e paixão jornalística, Joanino fez a popularidade e credibilidade do Jornal, que passou a ser sustentável graças aos anunciantes, atraídos pelo interesse de todas as classes pelas edições. Torcedor fanático do Minas Futebol Clube, era também colecionador de cobras, mantendo um serpentário com jibóias e outras espécies em sua própria casa. Seresteiro, tocava violão e violino (adorava os tangos argentinos) e fundou um grupo de seresta do qual participavam Agostinho França, Aldo Lobo, Zé Feio, Vavá, entre outros. Sua descendência soma hoje seis filhos, nove netos e dois bisnetos. Primogênito entre os netos e admirador do avô, Flávio Lobosque Lima fala da celebração familiar pelo centenário, em data a ser definida.“Não vamos deixar a data passar em branco. Queremos fazer jus à memória do jornalista e cidadão atuante em tantas frentes”, disse.

 

Hoje
Com a morte de Joanino, em 1986, o Jornal foi vendido, mas chegou a ser premiado pela Associação Interamericana de Imprensa como “Publicação Jornalística Original”. Com o passar do tempo e as novas mídias que tudo transmitem em tempo real, o jornal não tem hoje a mesma abrangência de quando chegou a 15 murais em pontos estratégicos da cidade. Joanino, no entanto, continua na memória dos são-joanenses como o pioneiro que inspirou a criação de todos os jornais murais da região.

 
Casamento
História de amor com final feliz, o casamento de Chaira Araujo e Jonatas Coelho, na Igreja de São Francisco, foi pura emoção. Construído passo a passo, evidenciou fortes laços de tradição, sintonia entre os noivos e entusiasmo.O resultado dessa união, que pela força do amor, encurtou distâncias entre o sonho e o grande dia, foi só alegria. No sorriso dos protagonistas a certeza de que a vida vale a pena!

Porte de princesa: Chaira ao lado do pai, Nadir, rumo ao altar. Foto: Studio Marie / Divulgação

Porte de princesa: Chaira ao lado do pai, Nadir, rumo ao altar. Foto: Studio Marie / Divulgação

A hora do sim
Sob as bênçãos de seus pais Marilda Araújo e Nadir Belo de Araújo; Neuza de Oliveira (in memoriam) e Valdir Coelho; os noivos Chaira e Jonas subiram ao altar. Na capela-mor, a delicadeza das flores brancas. O noivo abriu os cortejos ao som de Perhaps Love e foi com lágrima nos olhos que caminhou ao lado de seu pai. Foi a vez dos padrinhos e sobrinhos do casal como pajem e dama. Toque de clarins anunciou a Ave Maria para a entrada da noiva, ainda mais linda em traje sob medida, detalhado em patchwork de renda. Longo véu e bouquet do rosa ao branco complementaram o traje. Pe. Hilton foi o celebrante e a ele coube o brilho da cerimônia. Entre os grandes momentos, entrada das alianças pelo sobrinho Guilherme e chuva de arroz selando os rituais.

Vale lembrar que os anéis usados pelo casal pertenceram aos pais do noivo. Em sua aliança, Jonatas homenageou a mãe, Neuza, falecida há 30 anos, mantendo seu nome ao lado da nova gravação com o nome de Chaira.

 

Noite de festa
Noivos e seus pais receberam os cumprimentos no Armazém de Festas Cravo & Canela em festa reservada aos familiares e mais íntimos amigos. De longe já se via o cuidado com que tudo foi preparado, do voil que imprimiu charme e leveza ao espaço à linda mesa do bolo e doces, escolhas da noiva, que optou pelo branco total.

Os noivos Jonatas e Chaira em cenas do grande dia. Foto: Studio Marie/ Divulgação.

Os noivos Jonatas e Chaira em cenas do grande dia. Foto: Studio Marie/ Divulgação.

Celebrando a união
Os noivos chegaram em carro antigo e tiveram entrada triunfal, com direito à tradicional valsa com os pais. A surpresa veio com a coreografia especialmente ensaiada pelos recém-casados, motivo de vibração total entre os convidados. No mais, os belos rituais de casamento com brindes na bela mesa de doces e bolo e fotos (muitas fotos!) até a hora de se esbaldar na pista e jogar o bouquet. Ao final da maratona de emoções, a satisfação pelo que foi vivido e guardado para sempre na memória das nossas preciosidades.

O casal Chaira e Jonatas: ensaio pelo Centro Histórico. Foto: Studio Marie/ Divulgação

O casal Chaira e Jonatas: ensaio pelo Centro Histórico. Foto: Studio Marie/ Divulgação

 

2 comentários em “Acontece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *