? Pelas Esquinas: Tópicos | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Terça-feira, 23 de Maio de 2017  •  Ano XIX  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Pelas Esquinas: Tópicos

Sr. Prefeito:
Perguntar não ofende: quem foi que sugeriu que a estátua do ex-ditador (do tempo do Estado Novo-1937-1945) e ex-presidente democraticamente eleito (1950-1954) Getúlio Dornelles Vargas fosse colocada no rés do chão da avenida Leite de Castro? Sei que V.S. não tem nada com isto, já que a colocação foi feita ainda no tempo do prefeito Helvécio. Mas, desculpe, tenho que voltar ao assunto. Getúlio não tem nada a ver com aquele local. Fica ali, sem pedestal, olhando a turma que faz caminhadas na pista de Cooper. Já está pichada pela turminha de canalhas calhordas que imundam paredes, fachadas e o que mais lhes apareça à frente. Aliás, se ainda não existe, a Câmara Municipal bem que podia aprovar uma lei municipal punindo com multa de peso, fora o trabalho de fazer a limpeza, aqueles pichadores que fossem pegos no delito. Quem sabe isto não amedrontaria esta turminha de vândalos irresponsáveis? Mas, voltando ao Getúlio. No Largo Tamandaré, nos jardins que ocupam a praça, há um pedestal vazio, bem em frente ao Museu Regional, imóvel tombado pelo IPHAN, que hoje é o SPHAN. O IPHAN foi criado justamente por Getúlio Vargas, no tempo do Estado Novo, com o objetivo de salvaguardar o nosso patrimônio arquitetônico, histórico e cultural. O que ainda resta em nossa cidade, conservado da ganância imobiliária e do discutível conceito de progresso, se deve ao trabalho desenvolvido pelo IPHAN antigo e hoje, pelo SPHAN, pelo IEPHA (entidade estadual) e pelo Conselho Municipal do Patrimônio.

Sugerir não ofende: é ali, bem em frente ao Museu Regional, que deveria estar a estátua do velho Getúlio Vargas encimando o pedestal já existente e vazio. Que tal discutir o assunto com as entidades responsáveis pelo nosso patrimônio histórico, cultural e artístico?

Ainda o imposto fajuto
O relator do projeto de reforma trabalhista já incluiu no seu relatório a extinção do famoso imposto sindical, aquele que faz a fortuna das entidades sindicais cobrando de cada trabalhador o correspondente a um dia de trabalho, descontado da folha de pagamento. Para ter-se uma ideia do que isto representa, em 2016, à CUT (Central Única de Trabalhadores) coube a quantia de 59,8 milhões do imposto sindical; à Força Sindical, do deputado Paulinho da Força, do PDT, couberam exatos 46,6 milhões! É dinheiro pra encardir! O relator do projeto também está propondo a extinção do imposto para as entidades sindicais patronais: estas também recebem, obrigatoriamente, um percentual do capital social das empresas existentes no país. Outra aberração.

PT oculto
O deputado Cristiano colocou na cidade um Out-door contra a reforma da previdência. O deputado talvez tenha uma solução para o buraco fiscal da previdência que ninguém sabe qual é, fora da reforma. Mas o interessante é que no Outdoor, o deputado omitiu a sigla do seu partido: PT não aparece em lugar nenhum. O que aparece, timidamente, é uma estrelinha vermelha ao lado seu nome. Se a gente não olhar bem, nem a estrelinha se vê…

Você pode ir para o final e deixar um comentário.

Um comentário para “Pelas Esquinas: Tópicos”

  1. Hélio C. Silva disse:

    Não sei poque razão retiraram da avenida a estátua de Getúlio Vargas assim como a sua carta-testamento.Dá até uma paródia com a carinhosa marchinha carnavalesca (1951) que Haroldo Barbosa compôs sobre ele:
    “Traz a estátua de Getúlio/ Bota no mesmo lugar/ Com sua carta-testamento/ Há que se respeitar.

Deixe um comentário