? Artigo: Lixo, uma responsabilidade de todos | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Domingo, 19 de Novembro de 2017  •  Ano XX  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Artigo: Lixo, uma responsabilidade de todos

por Marina Alves 

O desenvolvimento econômico, a urbanização e o aumento dos padrões de consumo apontam para crescimento na produção de lixo, até 2030 estima-se que o mundo terá um aumento de 70%. A gestão de resíduos e o descarte correto de materiais se torna imprescindível para que o mundo caminhe para o desenvolvimento sustentável.

No entanto, de acordo com a ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) cerca de 60% das cidades brasileiras encaminham 30 milhões de toneladas para locais inadequados.

Os quase 3.000 lixões que ainda existem no Brasil em julho de 2017, afetam a vida de 76,5 milhões de pessoas e trazem um prejuízo anual de R$3,6 milhões aos cofres públicos, valor gasto com reparos ambientais e problemas de saúde causados pelos impactos negativos dos lixões.
São João del-Rei/MG tem população de 90.263 pessoas, segundo estimativa do IBGE para 2017, e uma produção média de 0,6kg de lixo por pessoa, por dia, de acordo com Feam (Fundação Estadual do Meio Ambiente) para o estado de Minas Gerais. Sendo assim, o município produz aproximadamente 54.157,80 kg de resíduos por dia, e estes são destinados ao lixão. A coleta seletiva acontece através da ASCAS (Associação dos Catadores de Material Reciclável) que realiza o trabalho apenas na região de sua sede. Porém, o potencial econômico do resíduo descartado é muito maior com a implantação da coleta seletiva em todo o município. Outra questão importante, é a coleta de resíduos orgânicos, que representam 50% do volume do lixo doméstico e constitui um dos maiores problemas na gestão de aterros sanitários, devido a geração de chorume e gases causadores do efeito estufa. O lixo orgânico, após passar pelo processo de compostagem, também possui potencial econômico com a produção de adubo e fertilizante naturais.

O município de Itaúna/MG é uma inspiração de como podemos melhorar a situação em nosso município. Com uma população semelhante à de São João del-Rei, Itaúna possui um dos maiores índices de aproveitamento de resíduos do Brasil, desde 2013 a coleta seletiva é realizada pela COOPERT (Cooperativa de Reciclagem e Trabalho de Itaúna) em parceria com a prefeitura. O segredo da eficiência do município está no contato direto entre catador e população e no reconhecimento destes dois atores – catadores e cidadãos – pelo governo municipal como fundamentais para uma gestão eficiente e rentável dos resíduos sólidos no município. De acordo com a prefeitura, 70% da população separa os resíduos, gerando emprego e renda para 86 cooperados e uma economia de R$56 mil mensais ao município.

Atitudes que fazem a diferença como a mudança de hábitos são decisivos na luta contra os impactos causados pelo lixo. Reciclar é bom, mas reduzir é melhor ainda, pois nem todo o resíduo poderá ser reciclado ou reutilizado.

Quando reparamos no lixo que geramos, passamos a adotar valores e hábitos de consumo mais conscientes. Cada cidadão é responsável pelo resíduo que gera, e ao tomarmos consciência disto, mudamos nosso padrão de consumo para outros mais sustentáveis.

Se a gestão de resíduos for feita de forma estratégia, tem enorme potencial para transformar problemas em soluções, como geração de emprego e renda para a população, preservação do meio ambiente, aumento de vida útil dos aterros, entre muitos outros benefícios. A redução na geração de resíduos e o aproveitamento de seu potencial econômico é o caminho para o desenvolvimento sustentável nos municípios, principal unidade de implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

* engenheira civil