? Pelas esquinas: Tópicos | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Terça-feira, 23 de Outubro de 2018  •  Ano XXI  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Pelas esquinas: Tópicos

Baterias
Se há um item no julgamento oficial das Escolas de Samba que o jurado entra em estado apoplético para decidir a nota a ser conferida, este é o da melhor bateria. As baterias das Escolas de Samba de São João se equivalem em ritmo, em cadência, em marcação, em surdos de corte, em tarois, em caixas claras, em repiques e tamborins. E há também que assinalar que há ritmistas que desfilam na bateria de duas e até três Escolas de Samba.Todas as baterias fazem breques, convenções, paradinhas de suspense. Mas em todas, também, faltam instrumentos metálicos como agogôs e chocalhos. Estes instrumentos de percussão são pouquíssimos nas baterias. Tão pouco que mal os percebemos no conjunto. Há uma semana tive a notícia de que neste ano a bateria dos Metralha vem com um respeitável contingente de chocalhos. É uma novidade, alguma coisa que pode chamar a atenção. É esperar para conferir.

Só quarta-feira
Outra coisa boa na Festa de Momo deste 2018: as Escolas de Samba desfilam apenas um dia: duas no sábado, duas no domingo e duas na segunda. Nada de resultado final divulgado na terça. Nada de “desfile de campeãs”. No Carnaval não se dá a público o resultado do julgamento para criar frustração nos derrotados. Carnaval é hora de alegria.

Deixemos as possíveis tristezas para quarta-feira à noite quando o resultado final, e oficial, for divulgado. E tem mais: no dia seguinte, 15, quinta-feira, depois de 20h, no Centro Cultural Feminino, proceder-se-á à entrega do Estandarte Del-Rei, na sua sexta edição. E aí, quem sabe, muita escola de samba que chorou na quarta pode ter momentos de felicidade na quinta se for agraciada com o troféu que hoje já é uma tradição do Carnaval são-joanense.

Desfile de campeãs nunca foi um objetivo em São João del-Rei. Continuamos, desde o século XVIII, a considerar a Quaresma um período de recolhimento, hora de reflexão íntima. Num tempo muito antigo, em fins da década de 50 do século passado, foi tentado inclusive um baile no Sábado de Aleluia, já que a aleluia se dava, na catedral do Pilar, entre 21 horas e meia noite. O promotor do baile era o Clube dos Milionários. Na sábado de aleluia reuniu-se na frente da sede do Clube (edifício Sade) uma pequena multidão para ver quem ia ao baile e protestar contra a realização daquela afronta…

Quem toparia fazer um desfile de campeãs do Carnaval no sábado, depois do festejo momesco, como ocorre no Rio, justamente um dia depois da primeira Via-Sacra da quaresma, que ocorre na sexta feira? Menos, são-joanense, menos…Aproveite o Carnaval que começa hoje! Pernas para o ar que ninguém é de ferro!