? Editorial: A sorte de um amor tranquilo | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Sábado, 23 de Junho de 2018  •  Ano XX  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Editorial: A sorte de um amor tranquilo

Aahh o amor, esse sentimento tão sublime que chega em nossas vidas para trazer felicidade e paz, que no princípio se confunde com a paixão, mas que vai mostrando sua calmaria, segurança e conforto com o passar do tempo. O amor deve ser celebrado todos os dias, a sorte de ter alguém ao lado em quem se possa confiar, com quem a vontade de dividir cada fase da vida não esgota, e que seja o colo que conforta nos momentos difíceis, deve ser agradecida a cada momento. Dia 12 de junho, dia dos namorados, é apenas uma data para reafirmar a maior sorte da vida: encontrar um par, uma alma que quer seguir com outra, uma mão para entrelaçar e pés que caminham juntos numa mesma direção. Mas o amor, em todas as facetas que possa se apresentar, tem de ser comemorado diariamente. Porque amor é sorte e é plural, se apresenta nas pequenas coisas, nas palavras ditas e até nos pensamentos calados. Se apresenta no bis que não falta na geladeira, no abraço apertado, no sorrir dos olhos. Se mostra na preocupação diária, na torcida pelo outro, no “eu te amo” em momentos inesperados. É o tempero especial de um prato feito para o amado, uma música tirada no violão no final da noite, o dividir do cobertor para ver aquele filme juntos. É a ajuda financeira num momento de aperto, estar ao lado incansavelmente numa situação ruim, ser parceiro nos planos e na vida. O amor é a brincadeira que ninguém mais entende, o dialeto de dois, a música que toca na rua e faz o coração disparar é a sorte bem diante dos seus olhos e ao alcance das mãos. E a quem tem “a sorte de um amor tranquilo”, só resta rezar para Santo Antônio, Santo Casamenteiro, agradecendo o encontro, ou pedindo para agilizar logo a oficialização da união que atesta que a pessoa que te faz tão feliz e é o motivo dos seus olhos serem capaz de sorrir, seja eternamente a “sua pessoa”.