? Pelas Esquinas: Conspiração Biológica | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Quinta-feira, 15 de Novembro de 2018  •  Ano XXI  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Pelas Esquinas: Conspiração Biológica

Nada de política. Cansei de ouvir candidatos, suas justificativas, suas promessas diante de um tenebroso panorama de déficit fiscal, dívida interna insanável, desemprego de 12 milhões, saúde aos frangalhos, segurança absolutamente insegura, educação deficitária, perspectivas de cenários ainda mais trágicos. Hoje acordei pensando em mim, na minha idade, onde estou, a que estou sujeito. Refleti medicamente, e não foi nada otimista minha reflexão.

Eis-me assim, sujeito às surpresas biológicas. Alguma coisa se trama nas entranhas, entre tecidos e moléculas, entre fluídos e plasmas. Em alguma região corpórea, uma conspiração em marcha prepara-se para sabotar o ritmo fisiológico de um rim, um baço, simples alça intestinal, um giro cerebral, as divisões de uma artéria, um esfíncter, um lobo hepático, um átrio, uma aurícula.

Nenhuma prevenção pode evitar o desfecho trágico, a imobilidade, a pausa respiratória, a interrupção do fluxo sanguíneo, o cerrar definitivo das pálpebras, a rigidez muscular, o resfriamento e descoloração da pele, o silêncio permanente.

Eis-me, assim, sujeito ao inevitável fim do exemplar orgânico, chegado à exaustão do sopro vital, aquele que uniu sêmen e óvulo no retorcido túnel do salpinge.

Eis-me, assim, indefeso, sem saber o que fazer ou pensar, desconhecendo de onde virá o anúncio do sinistro que se arma. Será esta tosse intermitente? Esta pontada lombar que me incomoda? Esta diarréia que persiste? Esta pressão occipital, esta dor articular que não dá trégua e à qual ninguém resiste? Ou o sinal de que o desfecho se aproxima está na minha inércia, no meu desejo incontido de não fazer mais coisa alguma, não assumir qualquer compromisso, e cada vez mais recolher-me ao silêncio, retrucar quase nada, expor coisa alguma, e até mesmo escrever começa a ser uma ação sujeita à suspeição de sua necessidade.

A conspiração biológica é um fato quando se chega à idade provecta. E ainda tem-se que levantar as mãos aos céus por tê-la alcançado. Portanto, nada de reclamações. O importante ainda é aproveitar o que resta, principalmente quando não se sabe quanto resta…Quando caio nestas reflexões trágicas pego um livro para ler. Um de Machado de Assis. Ou de João Ubaldo. Ou de Rubem Braga. Ou de Vinicius de Moraes. Se for no fim da tarde, apresso-me e me mando para o boteco mais próximo. Lá, na roda do boteco, é mais fácil esquecer estas intempéries intelectuais…