? Retratos das Vertentes 1063 | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Segunda-feira, 20 de Maio de 2019  •  Ano XXI  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Retratos das Vertentes 1063

Por Roseli Santaella Stella

No telhado da fachada principal da Capela de São João Evangelista, quatro pombas passam sem serem reconhecidas, parecendo simples arremates usados em telhados coloniais. Na verdade, são Pombas do Divino Espírito Santo, ou Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Durante o batismo de Jesus o Espírito Santo materializou-se em pomba e desceu sobre Ele. Ou seja, na forma de Pomba, o Espírito Santo encontra-se em um posto avançado, em sinal de vigília e proteção permanentes sobre a especial Tiradentes.

Retratos das Vertentes 1063

Retratos das Vertentes 1063

Iniciada entre 1750/60, pouco se sabe sobre a construção da capela, mas quem colocou as Pombas ali sabia muito bem o quê estava fazendo. Herança da arquitetura portuguesa, as construções civis e religiosas no Brasil seguiram os modelos usados em Portugal continental e nas Ilhas Atlânticas. E esse é o caso das pombas da Capela de São João Evangelista.
Até hoje, mais ao norte de Portugal, na região de Entre Douro e Minho e na Ilha da Madeira, encontram-se várias casas abastadas e capelas centenárias ostentando pombas em repouso ou de asas levantadas como arremate do telhado e em sinal de proteção Divina. Curioso, é que não temos notícias de outras edificações no Brasil com a utilização da Pomba como elemento religioso. Apenas são usados o “peito de pombo” em cerâmica, colocados como adorno ou acabamento para as pontas do telhado. Entretanto, representam a evolução ou adaptação da Pomba original. Observe o seu telhado, você pode ter uma representação do Divino Espírito Santo e nem sabia!

*Doutora em História pela USP