? Pelas Esquinas: Tópicos | Gazeta de São João del-Rei - O Jornal do Campo das Vertentes
SÃO JOÃO DEL-REI, Quarta-feira, 22 de Maio de 2019  •  Ano XXI  •  O Jornal do Campo das Vertentes

Pelas Esquinas: Tópicos

GINEGO
Nosso último encontro foi no dia 7 de março, no Centro Cultural Feminino, quando o Estandarte Del-Rei entregava seus troféus aos vencedores, e o CCF prestava uma homenagem ao talentoso carnavalesco João Bosco e ao ícone da São Geraldo, meu companheiro Sabará. Ginego estava em excelentes condições de saúde, bem humorado, relembrando fatos antigos dos carnavais de antanho. Nada que pudesse causar suspeições de um possível desenlace vital. São as coisas da velhice (e também, eventualmente, de qualquer idade). Ninguém sabe o que está ocorrendo nas entranhas, do complô que as células estão armando, do ato final que as vísceras estão articulando entre tecidos conjuntivos, áreas de vascularização, válvulas e musculatura cardíacas, na intimidade, sem alarde, sem sintomatologias, na moita, em segredo absoluto. E foi assim. De repente, um AVC. AVC, nada: uma sacanagem, isto sim! Levou-nos Ginego, nos seus 91 anos. Um pioneiro dos nossos carnavais de rua, liderança inconteste, príncipe da Rua das Flores, figura exponencial dos nossos eventos carnavalescos. Uma pena. Lastimável. Triste. Luto no Arraial do Tijuco e em toda a cidade.

FALATÓRIO
O país atravessa um período de falatório sem fim. Uma besteira atrás da outra, entre uma ou outra coisa razoável, seguidas, obviamente, pelos comentários irresponsáveis, ridículos, asneirosos, insuflados muitas vezes pela ignorância consumada de muitos dos twiteiros e blogueiros do país. E até ministros entram neste falatório, dando importância ao que devia ser simplesmente esquecido num canto qualquer de alguns dos nossos órgãos de imprensa. Imprensa que também tem gosto pela divulgação de qualquer frase que não merece sequer a atenção de ninguém. Nem o presidente escapa: volta e meia lá vem uma frase que não encontra nenhuma justificativa saudável. E ficam, membros do governo, fofocando uns contra os outros, quando não é um cidadão que nada tem a ver com coisa alguma do governo, mas que tem indicados por ele na equipe governamental, que levanta objeções, usa linguagens rastaqueras e faz críticas bestas contra membros do Planalto: é o caso do sr. Olavo de Carvalho, morador dos Estados Unidos. Por outro lado, com toda a sinceridade, me digam: que importância tem o prefeito de Nova Iorque e suas opiniões ridículas para a política e a economia do Brasil? E ficam os jornais dando espaço para as opiniões de um sujeito que nunca teve nada a ver com nosso país. E nem terá, em tempo algum.

Nos primeiros meses do governo Bolsonaro instalou-se um palavrório que apenas desvia a atenção daqueles que devem se concentrar nas reformas indispensáveis para debelar o déficit fiscal, combater o desemprego e fortalecer a economia. Pelo contrário, os responsáveis pelos destinos do país atiram-se em impropérios, ofensas mútuas, manobras espúrias para adiar a votação das reformas.

PORTADA
Finalmente chegou! A portada da igreja de Matozinhos já está instalada no Museu de Arte Sacra. A batalha do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei, finalmente, deu resultados positivos. Vale a pena uma visita ao monumento e, diante dele, chorar a destruição daquela igreja, tombada oficialmente, da qual fazia parte a portada agora recuperada.